Olá pessoal! Aqui é Nicole, mais uma vez, e hoje eu quero partilhar com vocês uma experiência nova em relação à dança!

Esses dias comecei a me interessar por um estilo novo chamado Lyrical Jazz! Então fui atrás de vídeos e, claro, encontrei referências sacras, porém me deparei muito mais com referências seculares e sacras que utilizavam músicas seculares.

Como eu nunca fiz jazz e não sabia nada sobre essa modalidade (apesar de encontrar muita identificação com o tipo de movimentação que eu gosto), comecei a estudar por teorias e vídeos sem me importar se as músicas falavam de Jesus ou não.

Peguei vários vídeos de sequências e comecei a reproduzi-los. Permiti-me fazer porque eu queria muito aprender a movimentação que é nova para o meu corpo. Até gravei um ensaio e quis postar, mas o Espírito Santo me lembrou que além de bailarina sou ministra, então se a música não fala de Jesus isso é um fator relevante para que eu não poste o vídeo. Obedeci o Espírito mesmo achando isso um saco dentro de mim, mas passou!

Depois disso, comecei a pesquisar mais não só sobre a prática e técnica, mas também sobre a teoria desse estilo e descobri que Lyrical Jazz é uma junção de ballet com jazz. O “lírico” tem a ver com o ser suave e delicado, não tão calmo como o ballet clássico e nem tão agitado como o jazz. Os movimentos são muito suaves e alongados e normalmente são muito expressivos, cheios de emoções. Aprendi  que no Lyrical Jazz os movimentos precisam ser completamente relacionados à letra das músicas, foi então que refletindo sobre isso cheguei à conclusão de que eu não queria que os meus movimentos fossem ligados à letra de uma canção que não falasse de Jesus. E o Espírito Santo começou a incomodar o meu coração mais ainda em relação a isso! Ele me disse: “Por que você não pega a sequência secular que você aprendeu e coloca em uma música que fale sobre Jesus colocando a intenção Nele.” Logo, procurei uma música, de Jesus, que faz com que eu sinta vontade de me expressar e apliquei a mesma sequência secular e o resultado foi maravilhoso.

Por que eu “tô” aqui falando disso?

Porque por muitas vezes nós vivemos um relativismo secular por não acreditar que as coisas de Jesus podem ser tão boas e legais quanto as coisas do mundo. Basta que a gente queira e se esforce para fazer as coisas de Jesus com qualidade e prazer! Nós não podemos, com isso, ser “bitolados” e fechados para as  coisas que acontecem ao nosso redor. Nós buscamos o céu, mas vivemos na terra e somos chamados a ser luz na terra. Se eu não me permitisse estudar os vídeos eu nunca conheceria uma movimentação nova, porém eu me conheço o suficiente para saber que Deus me chamou para fazer para Ele e não mais para o mundo. Assim, eu posso até buscar as técnicas no mundo, mas eu sempre vou trazer e entregar tudo pra Ele!

Eu tenho prazer em ministrar músicas para Jesus e isso faz com que eu seja ministra de dança, se eu gostasse apenas de dançar eu poderia ser somente bailarina. E quando eu sinto vontade de dançar músicas seculares eu peço para o Espírito Santo me ajudar a buscar a referência e transformar para Jesus, pegar (a referência)  do que é do mundo e transformar em sagrado, transformar na minha oração.

Eu sei que isso é sempre uma angústia para o coração dos ministros de dança, por isso, eu espero inspirar e ajudar vocês com essa minha experiência e também a viver a vida com Jesus mais leve!