Hoje eu fui para a capela rezar um pouco e levei o Miguel comigo. Enquanto tentava escrever sobre o que Jesus havia me dito na Lectio, meu filho começou a mexer nas coisas da Capela e a todo momento eu precisava parar de escrever, ir descê-lo da cadeira, chamá-lo, corrigí-lo, pedir para que não mexesse e assim por diante. Em determinado momento eu me cansei disse: “Jesus, eu só queria poder rezar um pouco”. Com essa situação, Jesus colocava em meu coração que a oração de uma mãe muitas vezes é o serviço prestado aos filhos e ao esposo.

Quantas vezes já escutamos expressões como: “você não trabalha?” ou então “você só trabalha em casa?”. Mesmo sem intenção, expressões como essas nos machucam, pois menosprezam o trabalho que dedicamos ao nosso lar e consequentemente à nossa família. O trabalho doméstico é uma oferta à Deus, onde procuramos a santificação nos pequenos detalhes que somente Ele vê.

Santa Teresa de Calcutá falava que o que importa é o quanto amor se coloca naquilo que se faz. O nosso trabalho doméstico, a dedicação ao lar, aos filhos e ao esposo é a mais bela oração de uma mãe e esposa. Claro que é necessário organizar o tempo para ir ficar com Jesus na Capela, buscar uma vida de oração regrada e constante, mas mesmo em meio às correrias do dia a dia, o mais importante é não tirar de nossa mente que tudo é feito para maior glória de Jesus.

“O nosso bom Deus também caminha entre as panelas” e que possamos encontrá-Lo com as panelas limpas, com refeição pronta e principalmente com todo o amor a ser doado que existe em nós.

Ao longo do dia, se não conseguimos parar para rezar podemos repetir constantemente o nome de Jesus, chamando Ele para que nos acompanhe em todas as atividades e buscando agradá-Lo em todos os momentos. Que a nossa maior oferta seja entregar a Deus o nosso melhor. Qualquer pequeno trabalho se torna grande quando feito com amor e entrega total a Deus.

“As vezes é necessário deixar Deus no altar para servi-lo em nossas casas”
(Santa Francisca Romana)