VOCÊ CONHECE A PROFUNDIDADE DO SEU CHAMADO?

Recentemente eu fui confrontado pela minha consciência sobre a forma de viver meu chamado. Eu parei pra pensar sobre como tenho vivido as incumbências que eu recebi depois que respondi sim a Deus.

Me dei conta que quando Deus deixou claro o meu chamado, o grito DEle invadiu o mais profundo do meu ser e não temi ao dizer sim. Entretanto, eu me esqueço muito fácil dos compromissos que com Ele selei. Deixo passar todas as coisas que prometi e que acabam fazendo com que eu viva uma tremenda injustiça com Deus. É isso mesmo, injustiça!

Deus se derrama, me chama e faz tudo para que eu lhe corresponda. Se a minha resposta for menor ou escondida no meu bem estar, não estou sendo completo naquilo que posso, vou tá dando a metade.

Se não entendemos toda a dimensão do nosso chamado, acabamos nos contentando com um pouquinho de tudo aquilo que poderíamos viver com Deus. No final da história quem acaba perdendo somos nós.

Nossa vida se assemelha a Pedro e a João que após a ressurreição de Jesus, voltaram a pescar. Acharam que o chamado que Cristo lhes havia feito durasse apenas por um certo tempo. Porém Jesus se antecipa e os surpreende. Mostra que o barco era pra ter ficado na margem a muito tempo, afinal Ele mesmo tinha ensinado Pedro a andar sobre as águas. Pedro olha novamente nos olhos de Jesus e entende de uma vez por todas sua real missão de vida.

O nosso maior desafio é deixar o barco pra trás. Olhar nos olhos de quem nos olha e caminhar, ir pro profundo. Somos tentados a permanecer na margem, na superfície e até na vida velha. Temos medo do profundo, justamente por não o conhecer. Todavia, se o nosso olhar não estiver no lugar que lhe deve, vamos viver uma vida incompleta. Deus nos chamou pro profundo. É um chamado definitivo, resoluto, completo.

Quanto mais fundo você mergulha, mais a pressão da água aumenta. Só não se esqueça que o tesouro fica no fundo! O Céu é somente para aqueles que tiveram a coragem de renunciar a beleza da praia e conhecer a riqueza do profundo.

A solução pra tudo isso é um autoexame de consciência, deu certo comigo. Se pergunte:
-Deus me chamou a que?
-Qual a essência do meu chamado?
-Eu tenho vivido a vontade de Deus ou o que me é confortável?
-Quais atitudes práticas vou tomar pra não me esquecer do grito de Deus na minha alma?

Termino com a celebre frase de Santa Teresa de Jesus:
“É Justo que muito me custe, o que muito me vale!”
Vale a pena ser todo DEle, eu tenho certeza!
Deus abençoe!