Oi Mundo! Vamos dar continuidade a série dos nossos baluartes. Hoje vamos falar do meu grande amigo, São João Paulo II, um dos maiores influenciadores do novo milênio, pai de toda uma geração!

Karol Józef Wojtyla, mais conhecido como São João Paulo II, nasceu em 18 de maio de 1920 em Wadowice – Polônia. Filho de Karol Wojtyla, oficial do exército e de Emília Wojtyla, costureira que veio a falecer quando o pequeno Karol tinha nove anos, essa lamentável perda não parou a vida de Lolek (apelido de infância), sob o exemplo de seu pai, se entrega inteiramente a Virgem Maria com doze anos e leva essa devoção por toda a vida, consagrando futuramente seu pontificado sob o lema: “Totus Tuus” – Todo Teu.

Desde cedo mostrou apreço especial pelas artes: foi ator, escritor e roteirista, ganhou grande destaque nesse meio e antes de pensar em ser padre sonhava em ser um grande ator. Quando papa afirmou: “Toda a forma autêntica de arte é, a seu modo, um caminho de acesso à realidade mais profunda do homem e do mundo. E, como tal, constitui um meio muito válido de aproximação ao horizonte da fé, onde a existência humana encontra a sua plena interpretação.” (Carta aos Artistas, 04/04/1999)

Uma série de fatos vai confirmando no coração do futuro papa o desejo à vida sacerdotal e no ano seguinte, com 22 anos, entra em um seminário clandestino criado na época. Quatro anos depois é ordenado sacerdote. Em uma nação destruída por regimes totalitários o jovem padre assume o papel de “outro Cristo”, estando ao lado dos mais necessitados e dos jovens, sua eterna paixão. No dia 04 de julho de 1958 é nomeado bispo auxiliar de Cracóvia pelo Papa Pio XII. Alguns meses depois João XXIII é eleito papa e no ano seguinte se inicia o Concílio Vaticano II. Com a morte do arcebispo Baziak, Wojtyla torna-se administrador temporário da Arquidiocese de Cracóvia, e junto com a delegação polonesa viaja até Roma para o grande concílio. O jovem bispo ganha notoriedade com suas intervenções e falas. Em 1963 Paulo VI sucede o precursor do concílio e em 29 de maio de 1967 nomeia Karol Wojtyla como Cardeal.

Em 1978 participa do seu primeiro conclave onde João Paulo I é eleito. Passado um mês, o então papa vem a falecer, trazendo Karol de volta a Capela Sistina para o novo conclave e no dia 16 de outubro é eleito papa, tomando o nome de João Paulo II em homenagem ao seu antecessor: “Eu temia essa nomeação, mas aceito-a em espírito de obediência a Nosso Senhor Jesus Cristo e de total confiança em sua Mãe, A Santíssima Virgem Maria!”

Inicia seu pontificado com coragem e disposição, adjetivos que levará por toda a vida. Até os dias de hoje é considerado um dos maiores líderes do século XX. Lutou contra as ideologias e regimes totalitários, reforçou a necessidade do ecumenismo para a paz mundial, levou esperança e amor a muitos povos: “Não, não tenhais medo! Antes, procurai abrir, melhor, escancarar as portas a Cristo! Ao Seu poder salvador abri os confins dos Estados, os sistemas econômicos assim como os políticos, os vastos campos de cultura, de civilização e de progresso! Não tenhais medo! Cristo sabe bem “o que é que está dentro do homem”. Somente Ele o sabe!” (Missa de Inauguração do Pontificado, 22/10/1978)

João Paulo II, não deixou de demonstrar seu amor pela juventude, tanto que, em 1985, cria a Jornada Mundial da Juventude, evento que acontece em diferentes países e reúne jovens do mundo inteiro em torno do bispo de Roma. “Fazei resplandecer a luz de Cristo nas vossas vidas! Não espereis por ser mais idosos, para vos empenhardes no caminho da santidade! A santidade é sempre jovem, como eterna é a juventude de Deus” (Vigília na JMJ em Toronto, 27/07/2002)

Incentivou o movimento carismático ao longo de sua vida: “Como é grande, hoje, a necessidade de personalidades cristãs amadurecidas, conscientes da própria identidade batismal, da própria vocação e missão na Igreja e no mundo! E eis, então, os movimentos e as novas comunidades eclesiais: eles são a resposta, suscitada pelo Espírito Santo, a este dramático desafio do final de milénio. Vós sois esta resposta providencial.” (Discurso no Congresso Mundial de Movimentos Eclesiais)

Defendeu com firmeza a vida desde a concepção, a inviolabilidade do matrimônio e a dignidade da pessoa humana, através de suas catequeses que futuramente seriam conhecidas como a Teologia do Corpo: “O corpo, e só ele, é capaz de tornar visível o que é invisível: o espiritual e o divino. Ele foi criado para transferir para a realidade visível do mundo o mistério escondido desde a eternidade em Deus [o amor de Deus pelo homem] e, assim, ser seu sinal” (Audiência Geral, 20 de fevereiro de 1980).

O ardor dos primeiros dias ficou marcado na alma do grande Santo, mas o corpo já apontava sinais de fraqueza. Isso não o impediu de realizar o que era a vontade do Bom Deus, lutou até o fim. Retornou a casa do Pai no dia 02 de abril de 2005 deixando um legado de fidelidade e obediência aquilo que Deus lhe pedira. Milhões de pessoas chegavam a Praça São Pedro, em Roma e não cessavam de gritar “Santo Subito” (“Santo Imediatamente”)

Ao longo desses 26 anos, o Santo Padre fez mais de 98 viagens para fora da Itália, fez mais de 20.340 discursos, redigiu 14 encíclicas, numerosas exortações e cartas apostólicas. Proclamou mais de 1300 bem-aventurados e Canonizou quase 500 novos santos.

Suas virtudes heróicas não ficaram para trás, seis anos depois, no dia 1º de maio de 2011 foi beatificado pelo Papa Bento XVI com a presença de mais de um milhão de pessoas vindas de todos os continentes. Não demoraria muito para ser canonizado: no dia 27 de abril de 2014 o Papa Francisco juntamente com o Papa Emérito Bento XVI realiza a cerimônia de canonização de João Paulo II e João XXIII: “Foram dois homens corajosos, cheios da parresia do Espírito Santo, e deram testemunho da bondade de Deus, da sua misericórdia, à Igreja e ao mundo..” (Homilia do Papa Francisco, 27/04/2014)

São João Paulo II deixa para nós uma grande herança espiritual e um bravo testemunho de fé. Não conseguiria enumerar seus grandes feitos por todo o mundo. Nós, Colo de Deus, entendemos que a revolução que ele começou nesse mundo nos alcança e somos nós os protagonistas da sonhada civilização do amor! A Colo de Deus faz parte dessa nova geração, uma geração criativa, autêntica e preocupada com o próximo! Que a exemplo desse grande homem possamos olhar para as situações do dia a dia e acreditar que a santidade é possível se começarmos a lutar e não parar nunca! Deus abençoe, até semana que vem!  

“Não tenhais medo da santidade, porque nela consiste a plena realização de toda a autêntica aspiração do coração humano”
(São João Paulo II, 07/04/1996).