Hey pessoas, tudo bom?! Como prometido na semana passada hoje nós iniciamos um novo tempo aqui nessa coluna, vamos falar dos baluartes da Comunidade Colo de Deus. Conforme dito anteriormente Baluarte é um sustentáculo, alicerce, base. São pessoas que dispuseram suas vidas nas mãos do Senhor e hoje são nossos modelos, inspirações reais que nos impulsionam a viver bem a nossa vocação.

Vamos começar falando de uma das maiores influenciadoras do nosso século, aquela que é nossa mãe espiritual e que nos ensina como melhor servir a Deus e a amar os que estão ao nosso redor: Santa Teresa de Calcutá!

Foi graças a imensa bondade de Deus que o mundo ganhou, no dia 27 de agosto de 1910, o dom da vida de Agnes Gonxha Bojaxhiu, futura Santa Teresa de Calcutá. Nascida na em Skopje, território Albanês, teve dois irmãos que foram criados  em um lar católico. Desde muito cedo, sempre mostrou predileção pelas coisas de Deus e aos 18 anos, sob o consentimento dos seus pais, segue o chamado do Senhor e ingressa na Casa Mãe das Irmãs de Nossa Senhora de Loreto, localizada em Dublin, Irlanda.

Desde pequena fazia parte da Congregação Mariana onde se sentia atraída pela obra missionária. O amor as missões pulsava em seu peito, logo foi enviada à Índia onde iniciou o postulantado e recebeu o nome de Teresa em homenagem a Santa Teresa do Menino Jesus e da Sagrada Face, que é padroeira das missões. Em Calcutá, começou exercendo o ofício de educadora na escola da Congregação. Ao caminhar pelas ruas, sentia o seu coração se mover em compaixão pelos doentes e inúmeras crianças abandonadas.

O dia 10 de setembro de 1946 é lembrado como o “dia da inspiração” pois em uma viagem ao Himalaia, avistou um pobre que dizia: “Tenho Sede”. Foi aí que Teresa entendeu que esse era o convite do próprio Jesus, que lhe convidava a saciar sua sede, por meio dos mais necessitados, dos perdidos e dos enfraquecidos.  Esse mesmo chamado impulsiona nós, como Colo de Deus, a seguir a voz do Senhor e a consumir a nossa vida por aquelas almas que estão em sequidão, afastadas do amor salvífico de Cristo e de sua verdade que liberta.

Tempo depois, a jovem Teresa, embarca na aventura de se entregar de maneira total aos mais sofredores; começou ensinando um pequeno grupo de cinco crianças de um bairro pobre, que em dez dias já somavam mais de 50. Os dias se passavam, seu trabalho ganhava força e Deus direcionava como a obra deveria seguir. Pouco a pouco chegavam novos  voluntários, a começar por algumas de suas antigas alunas da escola de Loreto que decidiram seguir o exemplo da sua antiga mestra e se entregaram totalmente ao Senhor no serviço dos mais necessitados.

As dificuldades do início não foram suficientes para barrar o que Deus iniciara na sua vida, com muita oração e determinação deu seguimento e em 1949 começa a escrever as constituições das Missionárias da Caridade. No dia 07 de Outubro de 1950, dia de Nossa Senhora do Rosário, a congregação é aprovada pela Santa Sé. Diante desse fato a obra iniciada em Calcutá se expande e ganha o mundo. Teresa desponta sua vida nas mãos da divina providência, seus escritos revelam sua total dependência ao plano divino: “Não sou nada, sou apenas um instrumento, um pequeno lápis nas mãos do Senhor, com o qual Ele escreve aquilo que deseja…”

Durante a vida ganhou muitos prêmios e menções, dentre os quais: O prêmio Nobel da Paz de 1979 e em 1985  a Medalha Presidencial da Liberdade, a mais alta insígnia dos Estados Unidos da América. As honras da terra era um pequeno reflexo da grandiosidade da alma dessa mulher.

Com a saúde enfraquecida, no dia 05 de setembro de 1997 termina sua missão neste mundo, encontrando-se pessoalmente com o Senhor e passa a interceder do céu pelos mais frágeis aqui na terra. É beatificada em 2003 no dia mundial das missões pelo Papa João Paulo II.  Em 04 de setembro de 2016, foi canonizada pelo Papa Francisco.

Madre Teresa é testemunho vivo de doação, submissão e amor. Viu o Cristo sofredor nos mais necessitados e não mediu esforços para executar com dedicação e excelência o Evangelho do Reino. Hoje também nós somos chamados a seguir o grito de sede que brota no coração dos perdidos, afastados e necessitados do amor que emana do Pai. Que seu exemplo nos ensine a se entregar ao convite do Senhor e a enxergar o próximo com um olhar de bondade e misericórdia.

“Jesus quer que eu diga de novo a vocês qual é o tamanho do amor dele por cada um de vocês – um amor que vai além de tudo o que vocês puderem imaginar. Ele não só ama você; é mais ainda: Ele anseia por você. Ele sente falta de você quando você não chega perto. Ele tem sede de você. Ele ama você sempre, mesmo quando você não se sente digno.”

Santa Teresa de Calcutá, rogai por nós!