Oi Gente !

Tudo bem ?  Espero que sim, passou o primeiro turno das eleições, que correria e que assunto né ?  chega a ser chato, mas é necessário. Chegamos de missão as vésperas das eleições, e por meu titulo ser de Sampa (e ter esquecido de ver o voto transitório) tive que ir justificar o meu voto. E fiquei exatamente duas horas na fila de espera para poder justificar o meu voto, e sim tive vontade de não justificar e pagar a multa, várias vezes. Mas se eu tenho a oportunidade e posso fazer eu devo fazer, preciso entender que o meu ser Cristão é nas coisas pequenas, inclusive na justificação do voto.

Hoje chegamos ao nosso último capitulo da nossa série, e quem vai falar para nós hoje, sou eu mesmo ! Muitas pessoas me perguntam sobre como foi minha vida com a música, como consegui conciliar a vida cristã com a música secular, com trabalho, com tocar com grandes nomes da música católica, essas coisas que acabam sendo muito boas, porém ao mesmo tempo, se não houve um preparo muito bom, sobe para a cabeça, e dai já viu né ?  Para não fugir do contexto pedi para uma pessoa da comunidade me fazer perguntas, e vou respondendo, em base daquilo que a galera sempre me perguntou, beleza ?


  • Luh, como foi seu inicio na música e o que a música influenciou na sua vida ?

Bom, minha família por parte de mãe, são todos musicistas, e meu tio Roberto, baterista foi o que me deu os primeiros passos, me lembro de situações de festa de família, aonde eu sentava no colo dele e tocava bateria junto com ele, e a partir desse momento, entendi que eu também seria músico. A música é minha vida, eu só sei fazer música, nunca trabalhei com outra coisa. Então eu amo a música, e não me assusto quando as pessoas dizem que a música é meu Deus. De fato não é isso, más ninguém vai amar a música como eu amo a música.

  • Quando você começou a tocar profissionalmente e como foi conviver no mundo secular e na igreja?

Eu comecei a tocar profissionalmente com 14 anos de idade, e minha primeira casa noturna foi na Granja Vianna, em São Paulo, tocava sertanejo, e para você ver o universo da música, ultrapassa até as leis muitas vezes, eu não poderia estar naquela casa por conta da idade. Mas a música fez com que eu fosse emancipado, e olha não me arrependo nenhum pouco disso. Durante todo esse tempo, minha vida na igreja continuou ativa continuei tocando no grupo de jovens e nas missas. Acima de tudo, eu tive uma criação aonde foi me mostrado o que era bom, e o que era ruim, e eu tive a livre escolha de saber o que queria pra mim. Então conviver com os dois mundos pra mim era fácil, eu entrava mudo e saia calado muitas vezes, era meu ambiente de trabalho e não um lugar de diversão pra mim . Conheci músicos muito bons não só por serem músicos de qualidade, mas por serem PESSOAS boas e isso pra mim tem um peso muito grande na minha história. Nós vamos falar disso, uma hora ou outra.

 

  • Quando você tocou com a galera da igreja que você sempre viu pela TV como você se sentiu ?

Bom, aos 9 anos de idade eu só sonhava em ser músico, e disse a minha mãe que um dia eu iria tocar na Canção Nova e que ela iria me ver na TV . Anos se passaram e eu realizei esse sonho. Para mim não é só tocar com a galera da TV, e sim com a galera que fizeram a minha geração conhecer Jesus, e hoje eu tenho a mesma responsabilidade que eles tiveram a 10,15 anos atrás. De fazer a minha geração conhecer Jesus, e entender que de fato Ele é o caminho e o sentido de tudo. O dia que pra mim foi mais emocionante, foi em 2015 tocando no estádio do Morumbi em São Paulo, com grandes nomes da igreja católica entre eles Padre Marcelo Rossi (que logo após isso, acompanhei ele por um tempo no Santuário Mãe de Deus) e Monsenhor Jonas Abbib. Conhecer o fundador e estar perto, não tem nada que me pague, não existe dinheiro, não existe nada, apenas agradecer a Deus por me permitir viver tudo isso, Ele me falou um dia no meu coração que isso iria se realizar e isso aconteceu.

  • Em algum momento você pensou em desistir da música ? Como que você achou que as sua música faria um dia parte da Colo de Deus ? 

Lembro de uma época na faculdade, tinha aula de melodias e harmonia, eu era horrível nessa matéria, por não tocar nenhum instrumento harmônico, nesse período foi o tempo aonde eu quis largar de tudo, mas Deus me deu forças e fui atrás de aprender. Minha história com a Colo de Deus, é um pouco maluca, antes de SER passei um período na Shalom Santo Amaro – SP, Canção Nova – SP e ai cheguei aqui na comunidade, durante esse processo fui formado por essas comunidades para chegar na comunidade pré pronto, para aquilo que musicalmente eu iria viver na Colo de Deus, a comunidade mudou muito o meu tocar e o meu sentir música. Música por Música não precisa, precisamos de corações que respirem além da música. 

  • Você acha que é possível, um músico viver em um mundo secular e na igreja ? Sem viver a famosa frase de servir a dois senhores ?

Eu somente posso falar daquilo que eu vivi, e eu vivi essa realidade, eu entendi que por mais que ali fosse um ambiente aonde Satanás reinava, eu não poderia me contaminar achando que tudo o que rolava lá seria normal, e que de fato não era mesmo normal. Então eu sempre tive apelidos ligado a igreja, como Coroinha, Padre, Beato e várias vezes me irritava, mas as pessoas conseguiam ver em mim uma diferença, pois eu estava naquele mundo, mas não pertencia aquele mundo. Quando decidi vim para a comunidade, ninguém estranhou pois sabiam quem era de fato o Lucas. A música, pra mim sempre foi coisa séria e sempre será, mesmo hoje não vivendo dela, mas fazendo somente para Deus, quando recebia por isso, era dessa profissão que eu pagava minhas contas, pagava meu dizimo, ajudava meus pais nas contas. No Evangelho de São Lucas no capitulo 10,7 vai dizer que todo operário é digno do seu salário.


A música na minha vida, tem uma total importância na minha vida espiritual, más há um certo tempo, tenho tido discernimentos, se Deus tirar minha música, quem serei eu dentro do reino Dele ?  Jesus me fez entender, que a música é um braço e não um corpo, quando de fato eu entender isso, milagres e prodígios de fato vão acontecer na minha vida.

 

Deus abençoe e até semana que vem !

 

Luh