Oi Gente !

Tudo bem com vocês ?  Essa semana estamos em São Paulo, estivemos em Marília, Taboão da Serra, Embu das Artes, Osasco e agora estamos voltando para o Rio de Janeiro ! E tenho uma coisa para contar para vocês! Durante um tempo eu sentia o desejo para estar fora da bateria durante um grupo ou algum evento que fossemos tocar sabe ? E eis que Deus me escutou e me concedeu a graça de não só tocar, mas também de pregar. Foi bem legal, foi bem diferente, fiquei um pouco nervoso mas foi especial ! =)

Hoje quem vai falar conosco é a Mayara Marques ! fiz também com ela uma entrevista, sobre as dificuldades da realidade de ser uma artista influenciadora no meio, e olha que ela acabou contando mais do que esperávamos ! Confere só !


  • Mayara, como foi sua primeira experiência com a música (em modo geral, algo breve) e se você um dia imaginava cantar para 50 mil pessoas?

Então, minha primeira experiência com a música foi na escola! (Hahaha) uma menina chamada Larissa me ouviu cantando, e disse que minha voz era incrível, eu acreditei nela, nos tornamos amigas e cantávamos todos os dias juntas na hora do intervalo. Eu só cantava, mas não sabia que cantava bem, eu era uma criança. Sobre cantar para 50 mil pessoas, já imaginei, mas me imaginei cantando como outra pessoa, porque nunca aceitei minha aparência, e na minha cabeça “cantoras de multidão “ eram lindas… Então, eu colocava a música do Rebelde, imaginava que eu era a Roberta, cantando no México pra muito mais de 100 mil pessoas… (rsrsrs)

  • May, sobre os desafios de entender que você influência as pessoas pela sua arte, vemos por aí até muitas pessoas que até aderiram o cabelo cacheado por conta da sua história com isso. Como é isso pra você?

Não sei lidar muito bem com isso. Ainda me vejo tão pequena. Me preocupa um pouco, um monte de gente me imitar e me ter como referência, porque só eu sei quão miserável eu sou. Por outro lado, Pensar nisso me faz perceber o quanto Deus tem misericórdia em me usar, e que por fim, tenho a plena certeza que, quem me tem como referência, é parecido comigo um pouco, e não está copiando alguém que finge ser Santa, mas alguém que sempre deixou claro, e fez questão de deixar que é miserável e pecadora como todos. E que, nunca vai desistir da santidade.

  •  Em algum momento da sua vida/vocação ser artista te tentou ao ponto de se achar de fato uma super artista? Se sim ou se não, como você faz para equilibrar isso?

Sim, Já pensei que eu era a última bolacha do pacote. Tentei lidar com isso me afastando um pouco das pessoas. Mas isso só piorou, e fez por um tempo, as pessoas me olharem como metida então, olhei pra mim, e pra quem eu sou. Eu sou povo cara! Eu gosto de falar com as pessoas. Então voltei a me aproximar delas. Deus tratou minha vaidade de outro jeito. Me mostrando que eu não sou boa. Tanto em técnica, quando como pessoa. Deus me mostrou meus pecados! Eu cai. E cai de novo. Eu desafinei em muitas musicas! Eu fiquei rouca… Tive nódulo, fiquem quase um mês sem cantar. Então, Deus me mostrou meu lugar. Não sou eu quem faço. Mas é Cristo que faz.


É importante frisar nisso tudo, o quanto ela precisou reconhecer tudo aquilo que Deus estava fazendo na vida dela, por aquilo que a música trouxe para a história de vida dela ! A Mayara não influência somente as pessoas que ela tem por perto e sim toda uma nação que acompanha ela. O peso e a responsabilidade que ela possui é sim digno de todo louvor a Deus, mas também é fruto daquilo que ela se permitiu ser.

Quem seria você no reino de Deus, se ele tirasse a música de você ? Se ele tirasse sua dança? Se ele tirasse as peças de teatro que você faz ? 

Deus abençoe !

Luh