Fala galera!

Tudo bem com vocês?

Comigo está tudo bem!

Antes de iniciar essa leitura peço que você abra o YouTube, abra o vídeo ‘Encontrei o meu lugar’ no nosso canal e vá direto para o 1:45 do vídeo. Deixe –a em um bom volume e reze conosco o que essa canção diz.

Todas as vezes que vou escrever um artigo novo no blog me deparo com a experiência de todas as vezes ir à casa de Deus e me lembro sempre da primeira experiência com Jesus. Acho que você também deve fazer isso. Logo você vai entender o que quero dizer com tudo isso.


Chegamos ao ultimo episódio da série ‘Músicos em Ordem de Batalha’ e eu quero muito saber o que isso tem feito em vocês. Para mim, em especial, tem sido um novo de Deus pelo livro. Meu coração arde todas as vezes que penso que se todo ministro de música vivesse apenas aquilo que precisa iriamos dominar o mundo do pecado, dominar tudo aquilo que era ruim e trazer tudo de volta para o seio do Senhor, a começar com os impossíveis.

Certa vez eu sonhei em tocar em grandes palcos, em viajar, querer os melhores pratos, as melhores baterias, em ser o melhor; mas Jesus já trabalhava no meu ego há muito tempo. Quando toquei em grandes palcos eu não tinha grandes pratos e nem grandes baterias, quando toquei em palcos pequenos eu tinha os melhores equipamentos, tinha as melhores sensações, tinha ‘tudo’. Hoje eu vivo um momento diferente.

Hoje, na missão do Rio, não temos saído tanto em missões grandes, mas eu tenho vivido o melhor que Deus tem pra mim em sempre lembrar que eu sou um músico consagrado a Ele e que preciso queimar todos os dias por Ele (uma boa pedida: coloque Queima de novo e sinta o que estou sentindo agora também). Fizemos uma intercessão nessa segunda aqui em casa e cara, como foi especial! Eu não estava com uma bateria para me esconder e muito menos com baquetas. Estava apenas com minha voz e meu coração ardendo de saudades do Espirito Santo.

Jesus me surpreende todas as vezes e eu quero que você sinta isso também!


 Músicos Consagrados

Acompanhe este trecho do Evangelho:

… e eles os lançarão na fornalha de fogo; ali haverá choro e ranger de dentes. Então os justos resplandecerão como o sol no Reino de seu Pai. Quem tiver ouvidos ouça!’’ (MT 13,42-43)

Trata-se da parábola do joio e do trigo. Nela Jesus nos fala dos súditos do reino e dos súditos do maligno.

O joio é muito parecido com o trigo. É um trigo falsificado. O povo de Israel utilizava joio seco para acender o fogo. O senhor está dizendo que os maus, os que zombam d’Ele, só servem para acender o fogo e acabarão como súditos do maligno no destino dele: a fornalha de fogo (comece a fazer uma análise se você tem sido joio ou trigo).

Por isso, até na ultima hora, Ele usa de misericórdia e perdão. Não se cansa de dar mais uma chance. Ele alerta:

Saia do meio do joio. Desagarre-se e deixe de ser joio. Aquilo que a natureza não pode fazer: transformar joio em trigo, Eu posso. Saia do meio do trigo! Não proceda como ele, porque, Eu virei. Vou intervir e limpar a face da terra. Todo o joio será arrancado e é com ele que eu irei fazer o fogo da limpeza deste mundo.’’ (Já sabe quem você é? Joio ou trigo?)

Existem muitas bandas que são “consagradas ao demônio”. A banda Kiss, que fez muito sucesso no Brasil e em tantas partes do mundo, por trás do nome ‘’Beijo’’, esconde  letra por letra a expressão: ‘’Knight in Satan Service’’ que significa “Cavaleiros a Serviço de Satanás’’.

Antigamente se pensava que os nomes, as atitudes consagradas ao demônio eram apenas gestos agressivos para atingir a sociedade. Percebeu-se depois que não era isso. Ao contrário, eram consagrados mesmo para ter sucesso e realizar o que eles queriam! Para gravar discos e ter as tiragens desejadas, para fazer shows e terem as pessoas a seus pés (nós sabemos que todo músico almeja e quer isso, será que pagaríamos qualquer preço para ter o tal sucesso?). Além desses que sabem e que vivem assim por opção, músicos e bandas, sem fazer uma consagração formal, estão a serviço de Satanás: com a música que cantam, com os shows que fazem, com as letras que divulgam, com os seus procedimentos e atitudes. (Lembrem-se sempre: Deus é o criador de tudo, o diabo que aproveita das brechas e destrói a criação divina).

A música arrasta multidões! A mentalidade que ela produz forma realmente opinião, faz a cabeça e o coração. Infelizmente, há uma multidão de artistas, bandas que mesmo sem uma consagração formal estão a serviço de Satanás, e com toda a certeza você conhecem algumas.

O Senhor tem feito tudo para tirar você das garras e do engano de Satanás (lembra lá do capítulo onde falamos das táticas de resgate?! Pois é!). Se você não se converter, será arrancado como o joio. Será feito um feixe sequinho, ótimo para fazer fogo. Somente o músico, o artista que pela graça de Deus é trigo será recolhido e levado ao celeiro do Senhor. Considerado justo resplandecerá no Reino dos Céus (já tive uns 45 tipos de infartos só de pensar nisso).

Cabe a você, produtor musical, músico, cantor consagrar seus talentos a Deus e fazer com que aquilo que é de Deus volte a Ele. Faça do teu dom algo que realmente Deus se orgulhe cada qual com sua diferença, afinal o Espirito Santo é livre e suscita dons.

Eu, Lucas, acredito que na mesma intensidade que ele suscita o pop ele também suscita o rock como vertente para atrair os jovens de maneira sacra e dentro daquilo que temos como respeito. Há hora para tudo, para música Sacra, para ser contemplativo, para ser moderno mas tenha discernimento.

Em breve iremos lançar o disco Jeremias. Pude gravar as baterias e adianto para vocês: será REVOLUCIONARIO. É possível ser um músico de Deus e gostar de boas músicas e de bons estilos.

 

A Verdadeira consagração

Satanás obriga os seus a serem assim: exige deles os “rituais”, as “adorações”, as “orações” e os “louvores” que ele quer. Deus não exige! Ele quer que você se dê com liberdade (alô, Colo de Deus!), com amor. É Senhor de Todo Poder, mas não exige que você faça algo a força, mas faça por amor, de boa vontade, livremente. O Senhor está pedindo isso a você, a seu ministério de música, à sua banda. Que o seu ministério, que sua banda seja consagrada ao Senhor. Que todas as pessoas livremente, espontaneamente, amorosamente, sejam consagradas ao Senhor!


Castidade: a arma do músico consagrado

Certa vez, tivemos em oração a seguinte imagem: Da plateia vinham demônios se projetando em cima dos músicos e dos cantores, demônios rindo das pessoas da plateia (feche seus olhos e imagine isso). A imagem é muito forte! Ela mostra o que acontece na realidade, não se pode ser inocente!

Você, menina, que toca e canta, quando se prepara para essas apresentações num palco, num altar, num encontro, você deve se pentear, se maquiar como Maria e unicamente como Maria! Por amor a Deus! Mesmo se penteando, maquiando e se vestindo como Maria, você ainda corre riscos porque as pessoas estão com a sensibilidade aguçada. Mas se você se veste como uma Madona, Beyoncé, com todos os requintes de sensualidade… Não, minha filha, num conjunto de Deus ou SANTA ou NADA.

Você, rapaz, também é alvo! Precisa ser casto em tudo: nas suas roupas, no seu jeito de apresentar… Porque o homem quando quer sabe se mostrar sensual. Por amor de Deus, não vá na onda dos artistas, eles estão a serviço de Satanás. Por isso, músicos de Deus: ou santos ou nada.

É preciso se decidir por um compromisso de castidade: os casados e os solteiros. Nós nos seguramos uns aos outros, oramos uns pelos outros, não empurramos ninguém, nós seguramos e não deixamos ninguém cair. Do contrário, somos presas do inimigo. Ele vem e numa rasteira derruba todo mundo junto. Nesta hora o que carregou o grupo inteiro grita:

“se tivéssemos feito antes um compromisso de santidade!”

Mortificação: o fôlego espiritual do músico

Ou você tem um ministério de música consagrado ou cai todo mundo. Para viver a sua consagração você precisa abolir: o fumo, o álcool, a droga. O fumo faz mal para a sua voz, o álcool à sua sexualidade. Mas isso é radicalismo? Que mal existe em fumar, em beber? De quem você está a serviço: da vida ou da morte? O fumo trás vida? Não! O fumo traz morte. Ele acaba com o alimento da sua vida que é o oxigênio para os seus pulmões. Não condeno os que fumam. Mas quero tirar o fumo da boca dos que fumam. Você pode entregar seu cigarro para Deus hoje e nunca mais fumar (se você está lendo e é fumante, eu profetizo na sua vida que após o termino desse texto, você nunca mais vai fumar!). É importante que no ministério inteiro todos tomem essa decisão.

Certeza vez um amigo meu jogava bola e o técnico tirou da camisa dele um maço de cigarros e disse: “ou você para de fumar ou não joga mais no meu time’’. Um ministro de música precisa ter fôlego e fôlego espiritual. “Ou você joga fora essa droga ou se não você não toca e nem canta na minha banda. Decida-se!’’ Com o álcool é a mesma coisa, quem teve a realidade dos pais serem alcoólatras em casa sabe a dor que é, e se você não viveu essa realidade Glória a Deus por isso. Satanás usa desses meios, para matar a vida, matar as famílias e o amor.

Com Maria: viver como consagrado

Talvez você não viva numa comunidade. Se o seu ministério pode chegar a ser uma comunidade é a melhor coisa. O seu ministério de música precisa viver pelo menos as cinco pedrinhas para ser realmente consagrado. Quais são as cinco pedrinhas? Aquelas que Nossa Senhora anunciou. Vou começar por aquela que limpa o terreno. A confissão mensal, o Jejum, a oração, a Palavra de Deus e a Eucaristia.

Este último capítulo do livro parece que sela tudo e somos chamados a verdadeira vontade de Deus em relação à música. Um capítulo se encaixa no outro, e agora o que faremos? Tire um tempo para relembrar tudo o que falamos e veja: Qual músico você é na igreja?

Deus te abençoe muito e obrigado por ler.

Um abraço,

Luh.