Uma das minhas mulheres preferidas da bíblia se chama Lídia. Ela se
encontra em Atos dos apóstolos 16,14. Quando Paulo e Silas saem da
prisão eles ficam hospedados na casa dessa mulher, quando Paulo começa
a entrar em território europeu ele usufrui da sua hospitalidade. Não
temos muitos relatos sobre ela, mas uma coisa aqui que me chamou
atenção é que está escrito que Lídia era comerciante de púrpura de
Tiatira, conhecida hoje como Túrquia.

O primeiro fato nos quer dizer que ela era uma “mulher de negócios”,
certamente uma mulher rica e que conhecia outros comerciantes da
época. Lídia me mostrou a medida certa entre trabalhar e se dispor a
Deus. Lídia estava reunida com outras mulheres quando ouviu Paulo falar
de Cristo, neste instante ela abriu os seus ouvidos e Deus permitiu que
aquelas palavras chegassem ao seu coração. Após esse momento ela se
pôs a seguir Jesus e tudo aquilo que ela tinha colocou à disposição de
todos.

Naquela época os membros da Igreja primitiva se reuniam em casas para
orar, assim a casa de Lídia foi aberta para a comunidade. Ela é uma das
mulheres que desempenharam um papel significativo na Igreja primitiva
assim como Prisca (já falamos sobre ela por aqui, dá uma lida depois).

O que eu aprendi com a Lídia é que depois que ela se tornou cristã ela não
deixou de ser comerciante, mesmo que isso, com certeza, exigia dela um
tempo. Porém, isso prova que quando você cuida das coisas de Deus Ele
próprio cuida das suas coisas. Se você trabalha, faça do seu trabalho o seu
campo missionário e não coloque o trabalho como empecilho para a sua
relação com Deus. A bíblia nos diz “o trabalho dignifica o homem” e São
Bento nos diz “Ora et Labora” que significa “Reza e trabalha”. Faça do seu
trabalho também um caminho de oração a Deus.
Por hoje é isso!! Que você seja LÍDIA.