oi gente, tudo bem com vocês ?

Estive um pouco sumido, esses dias, nem tanto pela correria, más a vida missionária as vezes requer um silêncio sabe? e precisei me silenciar um pouco, foi bom, foi necessário.

Hoje eu vou contar um pouco mais de mim para vocês,

Com a correria toda do #AD6 que é neste final de semana no Mineirinho, e com o dia de Nossa Senhora de Fátima, pude recordar de um dia aonde mamãe mudou meu jeito de tocar e entender o que meu ministério representa na vida dos outros.

Era no ano de 2014, tocava em um retiro chamado Geração Profetas, da minha diocese e o padre naquele dia iria fazer uma adoração em um momento do retiro. Lembro bem que ele dizia que naquele dia iríamos viver algo diferente. Eu ainda não tinha tido nenhuma experiência forte com Maria sabe? Sempre fui um Mariano daqueles bem bobinhos sabe? sem ir a fundo sem nada.

O nome da casa de retiro Era São Pedro e São Paulo, a capela da casa ficava dividida entre a sala de palestra (tenho muita saudade dessa casa inclusive) abrimos a porta que dividia, colocamos a bateria ali, começou a Santa Missa, e a Missa passou bem rapidinho sabe? Quando chegamos na adoração o Padre Fabiano, começou a conduzir Jesus foi fazendo de uma forma diferente, e neste dia vi Maria pela primeira vez e não foi de olhos fechados(rsrsrs). Estávamos cantando uma música chamada Cenáculo de Amor, e Mamãe veio até nós. O Padre passeava com Jesus na sala de retiro, e atrás Nossa Senhora vinha com teu manto e tocava a cabeça das pessoas que ali estavam. Até que veio até a minha direção sentou em uma cadeira que estava do meu lado, e enquanto eu tocava ela me olhava nos olhos, aquele olhar paralisante, lindo, algo que não consigo explicar.

Por um momento rolou um silêncio, e ela me disse ”coloca aqui sua cabeça”, lembro como se fosse hoje, ela acariciando minha cabeça e dizendo : ” Faça sempre com amor para o meu Filho, algo ainda vai acontecer, e quando você perceber, lá eu estarei…” Confesso para vocês que por um momento achei que era coisa da minha cabeça, e olha só onde estou hoje, em uma comunidade 100% Mariana, e vivendo somente para o Filho dela. Minha verdade precisa ser exatamente aquilo que eu vivo, e acredito que a nossa essência do carisma que brota do coração do Hugo é assim. Repare nele tocando, ou ministrando, nunca é igual, sempre é diferente, por isso até é um desafio ministrar com ele.  E isso só acontece por quê ministramos com amor, com vontade e com muita verdade. Que é tudo dele, através dela ainda estou longe de ser o filho que Maria sonha que eu seja, más vou chegar lá.

 

E você, teve alguma experiência com mamãe?

Como foi, quero te conhecer também !

 

Um abraço,

 

Luh !