Oooooi geeente! Eu gosto muito do assunto de hoje. Já recebi partilhas sobre isso, e vira e mexe me deparo com pessoas com essas dúvidas:

Sou de Jesus, posso me arrumar? Me converti, preciso largar a academia? Posso passar batom? Qual o jeito certo de me maquiar? O que eu faço com minhas roupas? É pecado se sentir bonita (o)? AHHHH isso já me deixou bem doida! E quem nunca se deparou com isso? Nós não precisamos ser chatos quando o assunto é cuidados com o corpo e a beleza. Acredito que não é uma questão de “pode” ou “não pode”, mas sim de: Identidade, Discernimento, Processos e Equilíbrio!

Se liga no que a palavra de Deus diz:

Caríssimo, desejo que em tudo prosperes e que a tua saúde corporal seja tão boa como a da tua alma” (3 Jo 1, 2).

Quantos de nós, começando por mim, após iniciarmos nosso caminho com o Senhor, deixamos pra lá alguns cuidados (externos) fundamentais, e nos convencemos que não podemos nem passar batom. (Se você é homem, pode continuar com a leitura, ta? Isso vai servir pra você também!!!) Eu concordo, que algumas pessoas precisam passar por processos de reconstrução, e eu vou contar como foi comigo.

Desde criança, eu gostei muito de esportes, joguei vôlei por anos, dancei a vida toda, vivia em salão de beleza, cuidava do corpo, sempre amei cuidar da alimentação (principalmente durante e depois da faculdade, onde aprendi muito sobre isso). Durante alguns anos mergulhei no álcool! Meio contraditório cuidar da alimentação e beber muitaaaa cerveja né?? Mas essa é minha história bagunçada!! Sempre amei maquiagem, tive minhas fases de árvore de Natal kkkk vivia cheia de pulseira, brinco, tinha um cabelão enoooorme, loiro, todo bem cuidado, roupas caras, etc. Ou seja, eu valorizava meu exterior, e tive épocas de obsessão por um corpo perfeito. Nunca fiz loucuras, dietas malucas, mas com os conhecimentos da faculdade, mantinha uma dieta e atividades físicas regulares.

E o espiritual? Oi, Jesus??? Onde eu O colocava? Até que, me encontrei com Deus, foi tudo lindo, maravilhoso, Ele roubou meu coração, fiquei maluca por Jesus, queria evangelizar até o poste e o cachorro que passava na rua. E o que aconteceu com meu exterior? Ele começou a ser reconstruído, por que o meu interior estava gritando por isso (comigo, a mudança começou de dentro para fora).

Eu entendi que muitas das coisas que eu fazia, eram pra preencher os vazios da minha alma. Eu desejava sempre estar maravilhosa. Muitas vezes olhei pro espelho antes de sair de casa e disse: Hoje você será a mais bonita da festa! Eu queria chamar a atenção, atrair olhares, ser elogiada, e abusava muito disso.

Jesus foi mostrando o meu valor, a beleza da minha alma, as minhas qualidades e virtudes, meus defeitos e pecados, fui me reconhecendo como filha d’Ele, e percebendo que eu não precisava ser uma personagem construída por mim mesma. Mas, o erro foi o seguinte: eu pulei desse personagem pra uma menina totalmente descuidada: parei com tudo. Doei todas as minhas roupas (até aí tudo bem, porque elas não eram decentes mesmo!) mas passei a me vestir de uma forma que não era eu: usando somente calças jeans, ou calças largas e camisetas! Isso é errado??? Eu estou criticando quem anda assim?? NÃÃÃO!!!! O problema aqui, é que isso não fazia parte da MINHA identidade. Eu fui de um personagem para outro… não me maquiava mais, não usava mais esmaltes, brincos, cortei meu super cabelão, por que ele era minha grande vaidade, ganhei váááááários quilos e me desfigurei. Me perdi dentro de mim mesma… Mas, Deus com sua eterna misericórdia, um dia me disse por meio de um diretor espiritual: “Minha filha, é muito mais difícil fazer as coisas com equilíbrio, do que simplesmente deixá-las de fazer, então peça ao Espírito Santo que te ensine a SER como ELE te sonhou.”

Que libertação!!! Agora sim, de fato, eu estava começando a entender todo esse processo, que não é simples. Eu sou a Juliana que curte se arrumar, que gosta de se sentir bonita, que ama esmalte, esporte, academia, cabelo bem cuidado, roupas boas, alimentação de qualidade, me olhar no espelho e me sentir bem!

A coisa mais importante que faltava era equilíbrio.

Hoje, buscando ser uma mulher de Deus, sou livre pra me arrumar com decência, modéstia, sem uma make que seduza e de um jeito que eu não me esconda.

Aceitei minhas imperfeições na pele, afinal eu não tenho mais 18 anos. Eu não brigo mais com minhas celulites, estrias, eu entendi que elas vem com o tempo. Tá tudo bem não estar todos os dias com as unhas feitas, afinal eu cozinho com muita frequência, lavo louça todo dia, banheiros, etc. Mas não abro mão de estar com elas sempre limpas, lixadas, bem cuidadas, e assim que posso, passo meus esmaltes! Não tem problemas em querer ter uma roupa boa, e isso é bem diferente de ser fascinada somente pelas calças de marca que eu amava. Hoje eu aprendi que qualidade e marca são coisas que andam separadas, tenho coisas boas de várias lojas de departamento, e tá tudo bem! E tudo isso não quer dizer que sou uma mulher bem resolvida, as vezes tenho umas crises, mas peço a Deus que Ele sempre me lembre de quem eu sou.

Eu continuo gostando de muitas coisas de antes, e outras coisas dentro de mim mudaram bastante. A diferença, é que hoje, é o Espírito Santo domina; e, Tudo isso não manda mais em mim, não me escraviza mais! Meu espírito encontrou com O Espírito Santo, e é Ele quem educa minha carne, minhas vaidades, meus complexos. Eu deixei o Espírito Santo dizer quem eu sou, revelar minha identidade que estava distorcida em padrões mundanos da beleza.

Quero que entenda, que você pode se cuidar, o grande problema da maioria das pessoas é a desordem e a negação da própria identidade. Aposte na sua essência, descubra quem você é, quais são os seus gostos, a sua verdade, as coisas que você precisa deixar pra trás, e permita que dentro daquilo que você é, e do que você gosta, o Espírito Santo trabalhe, e molde segundo a vontade d’Ele. Ele nunca erra!

Vamos arrumar essa desordem aí dentro?

Te convido a separar um tempo do seu dia, e parar pra pensar nisso: tenho cuidado só do meu corpo? Ou tenho cuidado só do meu espírito? Entrei pra igreja e assumi uma personalidade que não é a minha? Deixei minha identidade de lado pra fazer parte de algo imposto pela sociedade? Estou me comparando a outras pessoas para construir uma imagem? A vaidade me domina? Sou escravo de padrões de beleza? Considero que só é importante cuidar do espiritual e Deus cuida do resto? Nunca me atentei com os cuidados com a saúde? Já tomei anabolizantes, colocando minha vida em risco por um corpo perfeito? Fico muitas horas sem comer pra tentar emagrecer? Sou compulsivo por comida e já não tenho mais controle sobre isso?

Há tantas questões pra ordenar dentro nós. Vamos juntos?

Até a próxima, Deus te abençoe <3

Jú!