Oi moresss, galera desse blog lindo!
Eu andei ausente eu sei, me perdoe, não consegui ser tão fiel aqui, mas como isso aqui é um blog de DANÇA, hoje eu vim contar um pouco sobre a criação da coreografia de Seja o noivo (que eu espero que vocês já tenham visto no youtube, se não, vai correndo lá!)

Ano passado, em algumas das caronas que peguei no carro do Charlie (membro da comunidade), aqui nas ruas de Jandaia do Sul, ele me disse: “você já ouviu a nova música do Flavinho???” e eu respondi que não, então ele colocou pra tocar no carro, e MEU DEUS DO CÉU, eu fiquei impactada ao ouvir a música. Como Jandaia do Sul é uma cidadezinha pacata e minúscula rs eu cheguei no meu destino e desci da carona sem terminar de ouvir a música. Entrei em casa e fui no whats app desesperada pra ter essa música, e dei um disk no contato do Flávio dizendo: “MEU DEUS, mexeu comigo, tive uma visualização, por favor me manda!”. Ele muito meu amigo (nem era essa época) e amante de uma alma artista me disse: “POR MAIS MINISTROS DE DANÇA QUE TEM VISUALIZAÇÃO COM DANÇA” algo assim não lembro! E ele me enviou um áudio. Eu fiquei toda feliz achando que o flavinho da Colo de Deus tava me dando uma moral né moresss, e desde então fiquei com essa música no fone 24h pelos dias seguintes.

Eu decidi que eu ia fazer a coreografia que eu tinha visualizado, mas ano passado, eu não tava nada posicionada na minha vida ministerial, eu estava completamente sem sonhos e eu não quis criar grandes expectativas. Eu não fui atrás de nada pra fazer aquilo que Jesus tinha me pedido, só deixei o tempo rolar.
A música ficou marcada dentro da comunidade, cantamos muito essa música nos nossos momentos de oração internos e a vida foi passando.

Nesse ano a música entrou na lista das musicas que seriam gravadas no adoração no mineirinho e eu nem me animei, e enfim, a vida seguiu de novo.

Em um dos dias da minha vida de rezar pelas pessoas, eu rezei por um irmão de comunidade e eu me lembrei da passagem que Pedro andava sobre as águas (eu amo Pedro, amo essa passagem). Mas nesse dia Jesus chamou a minha atenção de uma forma como nunca antes em relação a essa passagem!
⁃ Não era sobre andar sobre as águas
⁃ Não era sobre Pedro
⁃ Não era sobre a tempestade
⁃ Nem sobre o barco
⁃ Nem sobre os discípulos não reconhecerem Jesus no primeiro instante
⁃ Muito menos sobre o medo de Pedro
⁃ Ou a coragem de ter tentado
⁃ Ou falta de fé no sobrenatural (sei lá rs)
⁃ e também não era sobre Pedro ter afundado

ERA SOBRE A MÃO DE JESUS!

Fiquei refletindo isso por um tempo, e eu me lembrei da visualização que eu tive naquele dia no carro do Charlie!
Onde eu consegui ver uma menina dançando com muita liberdade, mas ao mesmo tempo, completamente conectada com a mão de Jesus.

Aí Jesus começou a ministrar no meu coração muito forte na parte de “eu já não sei dançar sozinhooooooo” me dizendo que a liberdade da movimentação dela, só era possível pelas mãos de Jesus.

Comecei a entender na minha vida que não importa o meu chamado, nem os meus medos, nem mesmo o sobrenatural, nem a coragem, nem mesmo quando eu afundo… O importante era eu saber que independente de qualquer coisa, Jesus segura a minha mão.
Pedro teve coragem de sair do barco, arriscou andas sobre as águas, mas quando ele falhou, Jesus pegou a mão dele e levou ele de volta pro barco. Meu Deus, eu consegui perceber como Pedro foi absolutamente amado por Jesus em tudo isso.
Eu resolvi criar a coreografia querendo ser absolutamente amada por Ele também!

PROCESSO COREOGRÁFICO:
Se você notar, as mãos no “pas de Deux” (significa passo de dois em francês, usados para coreografias onde tem uma dupla de homem e mulher dançando ballet) são muito bem marcadas para todos os passos de maior execução, os passos de transição são mais soltos, dando a sensação de liberdade, mas sempre se conectam por meios das mãos, trazendo uma sensação de segurança.
A coreografia é cheia de portês (pra quem não entende, é quando levanta pro alto rs) porém não é uma coreografia que te causa uma grande adrenalina quando você assiste pois ela foi feita com o intuito de ser leve e de aparecer a pura dependência entre os dois bailarinos.
O final da coreografia é exatamente como o início porque Jesus nunca nos deixa dançando sozinho rs, é como se Ele te convidasse pra uma dança, você aceitasse e nessa dança ele te faz ir muito alto e como você deu a permissão da condução ser completamente Dele, mesmo quando Jesus te deixa solta, você entende que sozinha você não consegue porque sua humanidade te faz afundar e entende que a liberdade está SOMENTE nas mãos Dele, e então você volta.

GENTE É ISSO!!! Que tal correr lá no canal e assistir o vídeo agora sabendo como tudo foi criado e pensado?!

Beijos moresss, e até a próxima.