Hoje é dia de uma grande Solenidade na Igreja. Uma celebração proveniente da proclamação do dogma da Assunção de Maria aos Céus de corpo e alma. Dogma definido no dia 15 de agosto de 1950, pelo Papa Pio XII.

Antes da definição do dogma, a Igreja do oriente e do ocidente sempre creram na Assunção de Maria, já que um dogma, só é a “confirmação” de uma verdade previamente que existia. Antes, essa celebração chamava-se “Dormição”, ou como diziam os teólogos o “sono de amor”.

Assim definiu o Pio XII na Constituição Apostólica Munificentissimus Deus: “A Imaculada Mãe de Deus, a sempre Virgem Maria, terminado o curso da vida terrestre foi assunta em corpo e alma à glória celestial.”

Nós podemos entender com a definição de Pio XII o seguinte: quando a virgem Maria morreu, seu filho unigênito de forma milagrosa veio buscá-la, levá-la ao Céu de corpo e alma. Mas como isso aconteceu? Isso é possível? Bom, não sabemos ao certo como aconteceu, aliás, os mistérios de Deus são insondáveis. Mas uma coisa podemos ter a certeza, já que isso é uma Verdade de Fé; a Virgem Maria foi levada ao Céus de corpo e alma sim, porque aliás, “para Deus nada é impossível”. (cf. Lc 1, 37). E é bem difícil acreditar que Jesus deixaria Sua mãe corromper-se pelos vermes da terra, consequência natural, daqueles que nasceram com o pecado original.

Maria, tendo nascido sem o pecado original, preservada por Deus dessa mancha, não poderia ter sido deixada na terra para sofrer a mesma pena que os filhos de Adão sofrem. Pio XII no início da Munificentissimus Deus disse que o dogma da Imaculada conceição, está conexo e em perfeita sintonia com o dogma hoje celebrado, logo, essa seria até uma das “provas” ou “motivos” pelo qual, à Virgem Maria, de certa forma, precisaria ser Assunta ao Céus com seu corpo e alma, já que assim quis o próprio Deus.

São Boaventura é da mesma opinião, e, entre outros muitos, o Doutor Seráfico, o qual tem como certo que, assim como Deus preservou Maria santíssima da violação do pudor e da integridade virginal ao conceber e dar à luz o seu Filho, assim não permitiu que o seu corpo se desfizesse em podridão e cinzas. E concluo este pensamento deixando as palavras do próprio Pio XII: “Mas Deus quis excetuar dessa lei geral a Bem-Aventurada Virgem Maria. Por um privilégio inteiramente singular Ela venceu o pecado com a sua concepção imaculada; e por esse motivo não foi sujeita à lei de permanecer na corrupção do sepulcro, nem teve de esperar a redenção do corpo até ao fim dos tempos”.

Por estas razões, dentro muitas que a Igreja nos apresenta, apoiadas na sagrada tradição, podemos declarar sem medo, que, a Bem-Aventurada Virgem Maria, foi Assunta aos Céus de Corpo e Alma.

Se pudesse dizer um motivo do porque Deus, fez isso com aquela pequenina Mulher, com certeza eu diria, que foi por causa de sua profunda humildade e fidelidade. Sem dúvida alguma!

Deus a honrou no dia de sua Assunção, porque, antes, ela com sua vida, o havia honrado.

Bom, nós não teremos a graça de sermos assuntos ao céu de corpo e alma como Maria Santíssima, mas a Igreja nos garante, que, no grande Dia haverá a ressureição da carne. Por isso a exemplo de Maria, nossa Mãe, sejamos fiéis a Deus, humildes, e tenhamos sempre no coração a esperança de no grande dia do Senhor, nos encontrarmos com Ele na sua Glória, a fim de celebrarmos a Ele, junto de Maria, por toda a eternidade no Céu. Amém!