ESPIRITUALIDADE DO CASAL MATRIMÔNIO

Me casei, e agora?

É evidente que todos nós somos chamados a ser santos em qualquer estado de vida, essa é a vocação universal: a santidade. Porém, é um caminho que requer muita perseverança, disciplina, constância na oração e Graça de ‘Deus.
Após o matrimônio eu, particularmente, tive um pouco de dificuldade em conseguir manter a vida de oração com a Dayane, porque quando morava sozinho era independente, tinha meu tempo e fazia meus próprios horários, mas quando nos casamos precisamos achar o nosso tempo e fazer os nossos horários.
A vida a dois é feita de conjunções e, para mim, foi complicado devido à vida que eu levava sozinho. Eu era o tipo de pessoa que gostava de ler e estudar a vida dos Santos, vida de Homens espirituais e místicos, mas os Santos que eu estudava eram, muitos deles, padres ou celibatários, mas eu pensava que ia viver a realidade deles no matrimônio. É óbvio que deu conflito, porque os que alcançaram a santidade em outro estado de vida viveram de outra forma a sua vocação e, por mais que eu olhasse para a vida deles e quisesse adaptá-la ao meu modo de viver, algumas coisas simplesmente não encaixavam e, depois de casado, ficou ainda mais difícil.
Minha esposa, Day, ao contrário de mim, sempre foi muito ligada a estudar, ler e se formar na vida dos santos que foram casados, em especial Santa Gianna, pela maneira que ela viveu, sendo mãe, esposa, médica e doando-se inteiramente à família. ‘Deus já estava trabalhando nela algo que ainda não tinha sido trabalhado no meu coração. Enquanto isso, eu buscava São Tomás de Aquino, São Padre Pio, grandes Santos, mas Santos que me ajudavam a crescer espiritualmente enquanto solteiro, estava cego. Percebi, então, que deveria dar mais ouvidos a Day (os anjos vibraram nesse momento  kkkkk), a partir daí decidimos buscar juntos a santidade estudando a vida dos santos casados.
É engraçado, conheço muitos homens que também buscam viver a santidade no casamento da forma que eu fazia, e às vezes faço: olhando para a vida de um santo Galático como São Padre Pio, São João Clímaco e querendo adaptar o modo de vida deles ao matrimônio. Não é bem um erro, na verdade acredito que pode ajudar muito, mas percebo que os homens acabam se esquecendo que eles têm, acima de tudo, a força do Sacramento que lhes foi dado para que busquem ser Santos. ‘Deus deu a eles os filhos como prova de que, com aquele casal, ele se faz um só e, como se não bastasse, deu também uma família para se santificarem.
É importante lembrar que de nada adianta você estudar toda a teoria da vida dos Santos e querer aplicar na sua vida de santidade se, em outro momento, você tratar mal a sua esposa, ser um orgulhoso, machista, estúpido e grosso. Você pode ficar horas com ‘Jesus, pode morar na capela, mas se não dobrar-se para pedir perdão e não reconhecer que você é falho, será um mentiroso.
Deus conhece nossos corações e deseja a nossa santificação, e a santidade exige renúncia. Para buscar a santidade no matrimônio é necessário primeiro querer vivê-lo bem, buscando ser santo nas pequenas coisas, ser amigo dos filhos, ser de verdade com a esposa, ser amigo dela, aliás, ser o melhor amigo dela, de verdade, e não algo superficial. Vejo hoje que nós, homens, precisamos tomar o nosso lugar dentro de casa, como homens que amam suas esposas da mesma forma que ‘Cristo amou a sua Igreja e, por ela, entregou a sua própria vida.
Na vida de casado percebi uma coisa: que é bom para a mulher ver o marido buscando ser de ‘Deus, isso gera esperança e fortalece a vida de oração dela (é verdade). Quando estávamos em Minas Gerais, em missão, a Day estava desanimada com algumas coisas e a vida de oração dela tinha perdido qualidade, mas eu ficava sempre ao seu lado, dando forças, ajudando ela a se levantar e sendo companhia nos dias que eram difíceis para ela. Sempre acordava 1h mais cedo para rezar ao lado da cama e, quando ela acordava eu estava de joelhos rezando, isso estimulou ela também acordar para rezar comigo. Às vezes as palavras não são capazes de convencer, mas as atitudes são sempre frutuosas.
Eu percebo que o homem, pelo fato de ser “o cabeça” da casa imagina que o que ele vive, ou busca viver, com Jesus deve também ser buscado por sua esposa, como se, por ele rezar o Rosário todos os dias, ela também fosse automaticamente obrigada a rezar e a seguir os passos dele. O matrimônio é um conjunto e não uma separação, os dois possuem limitações, os dois são falhos e é por isso que Deus os uniu: para que os dois possam buscar juntos a Santidade, um ajudando o outro.
Quando um estiver avançado espiritualmente e outro estiver com dificuldades é preciso ter humildade, ajudar e também ter a capacidade de pedir ajuda. Parece complicado mas é simples, é questão de conversar um com o outro.O diálogo é essencial para o casal buscar a santidade e ser de ‘Deus, sem amizade não existe testemunho. Mas não existe matrimônio que seja perfeito né!? Não é porque você se casou e vive na igreja que seu matrimônio vai ser para sempre um mar de rosas! O diálogo, o respeito e a amizade mantém o matrimônio muito mais sadio do que os dois buscando por si só  a oração, o crescimento e a vida individual.
Vejo que são as coisas simples que fazem toda a diferença no caminho de santidade. O homem, como portador dá vida espiritual e material da casa, deve primeiramente se tornar humilde e buscar a sensibilidade de ouvir a ‘Deus e ser a presença dele em sua casa. Quer buscar a Santidade no matrimônio? Seja transparente com você mesmo, com ‘Deus e com sua família.
Eu me lembro  que  prometi assim:”Eu te recebo por minha esposa e prometo ser-te fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida”. Foram as promessas que eu fiz diante do altar.
É importante lembrar que buscar a santidade no matrimônio vai fazer você sangrar, vai fazer você olhar para si mesmo e descobrir realmente quem é; vai exigir de você tempo, paciência, dedicação e atenção à sua família.
Eu acredito verdadeiramente que seja possível chegar à perfeição no matrimônio, acredito que, se dermos as nossas vidas pela pessoa que ‘Deus nos deu no matrimônio, poderemos sim alcançar santidade. Caso não seja um santo reconhecido na igreja, será um grande santo escondido, gerando Cristo ressuscitado para o mundo.
Que Deus abençoe sua vida, a sua vocação e o seu chamado ao Sacramento do matrimônio.

Deixe sua opinião em nosso blog para crescermos juntos!

Grande abraço!

Leia tbm:

  • Andressa Maria

    Galáticoooooo!!!!

    • Alex Tonon

      É isso kkkkk

  • Elaine Aparecida

    Nossa que tapa na cara. Muito bom adoreiiiiii e tudo isso que você fala mesmo alex. Que Deus abençoe. A todos nós que estamos na vocação do matrimônio.

    • Alex Tonon

      Amém!!! Que Deus abençoe o nosso caminhar rumo ao céu dentro do sacramento do matrimônio! Shuris!

  • Thay Libanio

    Me inspiram demais! Tá sendo maravilhoso conhecer e aprender com vocês através dessa coluna! Deus os abençoe muito!!

    • Alex Tonon

      Shuris Thay obrigado por estar buscando aprender com a gente,
      Logo estaremos escrevendo mais coisas novas.
      Reze por nós ?

  • Mateus Costa

    Cara, texto admirável! Muito de Deus!

    • Alex Tonon

      Amém Matheus ?

  • Douglas Alves rosa

    Louvado seja Deus pela vida e vocação dessa família. Particularmente agradeço a Deus por tê-lo como formador, sei que serei formado, também, na vocação matrimonial através de seu https://uploads.disquscdn.com/images/2f8b1d1839e5376f8713ca279dbf6cb12c26898cf775f743207410f9e3922cc7.jpg testemunho

    • Alex Tonon

      Reze por nós Douglas Tamo junto Irmão ?

Scroll Up