HOMENS COM PROPOSITO PATERNIDADE

AS LACUNAS DA AUSÊNCIA DE UM PAI

Atualmente, são cada vez mais comuns casos de crianças que crescem sem a presença de um pai em casa, trazendo consequências graves ao desenvolvimento de algumas áreas emocionais e espirituais dos seus filhos. Muitas vezes, por conta dessa falta, algumas crianças desenvolvem uma carência paterna profunda, refletida em suas relações pessoais e também no relacionamento com ‘Deus.

Em alguns casos mais profundos de carência paterna, é comum que a criança desenvolva um sentimento de desprezo pelos homens em geral, não possuindo interesse algum no gênero masculino em suas amizades ou relações quaisquer. É um caminho que pode acabar, nos garotos, levando à rejeição da própria sexualidade ou um caso de homosexualidade, e, nas meninas, levando a um caminho de promiscuidade ou, também, um caso de homosexualidade. Nestes casos, em ambos os sexos, existe uma busca visível pela substituição da ausência do amor paterno em suas relações, é algo frequente, que pode também ser percebido em casos de menor gravidade.

Já trabalhei com casos em que a criança desenvolve uma rejeição paterna que, ao longo do tempo, desencadeia em um caso de homosexualidade; geralmente, nesses casos, o pai é exageradamente autoritário e impaciente. O pai está presente na família mas vive como se não estivesse. Trabalho há algum tempo no Ministério de Cura e Libertação e frequentemente presencio esse tipo de situação que, nos dias de hoje, são cada vez mais recorrentes nas famílias.

Eu sei que existem mães que batalham tendo que “ser”, simultaneamente, ‘mãe’ e ‘pai’, mas saibam que, mesmo com muito esforço, o “papel” de pai é insubstituível na formação dos filhos e que nada, absolutamente nada, substitui a real paternidade na família. A ausência de um pai causa uma grande ferida no coração dos filhos, gerando um vazio que, sem a presença real de ‘Deus, buscará inconscientemente ser preenchido momentaneamente pelas coisas que o mundo oferece, é uma porta aberta para todos os vícios e pecados.

A humanidade vive hoje essa triste realidade de pais que abandonam os filhos, pais que ignoram seus filhos, pais impacientes e arrogantes, alimentando gerações de pessoas que não sabem o que é ter o amor genuíno de um pai, não enxergam o amor na própria família, não sabem o que é amar. A crise nas famílias evidentemente existe e o objetivo final é a sua destruição, satanás e seus subordinados trabalham ininterruptamente afim de alcançar este objetivo, atacando, principalmente, os pais.

Posso afirmar com convicção que nunca houve uma sociedade tão corrompida pelo pecado quanto esta, e que as famílias nunca foram tão atacadas quanto nos tempos de hoje. A família é a célula da sociedade, ou seja, da mesma maneira que, na biologia, estudamos a célula como a unidade morfofisiológica dos seres vivos celulares, é ela quem dita a forma e o funcionamento de uma sociedade. Como em uma célula viva, as famílias podem sofrer ataques, infecções, erros e defeitos, de modo que, somente com a intervenção médica do Criador, alcançarão o seu máximo potencial.

Não tenho nenhuma inteção de ofender aqui as mães que criam sozinhas os seus filhos, a finalidade deste texto é apresentar a triste realidade do mundo em que vivemos, e as consequências comprovadas nos casos que são constantemente presenciados. Vale lembrar que, quando se pronuncia, de livre e espontânea vontade o “sim”, no altar, durante a cerimônia do matrimônio, o objetivo é ir até o final, custe o que custar, mesmo que isso nos cause dor e sofrimento, pois, dentro do casamento, vocês são um meio de santificação um para o outro.

Muitas pessoas se casam, hoje, acreditando que os seus pares conjugais serão responsáveis por fazê-los felizes e isso é uma mentira, para não dizer que é uma idolatria, pois nós, como cristãos, sabemos que a verdadeira felicidade encontra-se em ‘Deus somente. O real objetivo do matrimônio é amor ao próximo, não esse “amor” que é pregado no mundo secular, mas o amor que é sacrifício e decisão; é dar a vida pelo esposo ou esposa e filhos afim de que eles sejam verdadeiramente felizes em ‘Deus, no céu, todos juntos.

Uma família sem um pai é como aquela Torre de Pisa, na Itália, um edifício que, apesar de ter exigido um grande esforço para ser construído, nunca poderá ser perfeito sem uma extraordinária ação Divina. Os pais são referências espirituais e humanas em suas famílias e fazem toda a diferença, a ausência de um pai em casa é como um quebra-cabeças sem as peças principais. Ele é a pessoa responsável por apresentar o ‘Senhor à sua família, fazendo brotar novos frutos para a Igreja.

O grande antídoto para os problemas do mundo é a santidade, o objetivo de cada família deveria ser o de subirem juntos os degraus da perfeição cristã. Quanto mais famílias aspirando a esse objetivo, menos tragédias acontecem, até mesmo as tragédias naturais.

Certa vez eu ouvi um padre santo dizer que se nós, pais, como portadores do amor de ‘Deus, correspondêssemos ao chamado divino da maneira que ‘Deus deseja, certamente as nossas casas seriam um lugar de encontro com verdadeiro com a ‘Sua presença. É esse o nosso chamado: buscar a santidade a cada dia, para nós mesmos e nossas famílias, seguindo, passo a passo, o caminho da perfeição sem deixar nenhum membro para trás.

Que ‘Deus abençoe a sua vida, a sua família e a sua caminhada! Que nós possamos trilhar, juntamente com as nossas famílias, o caminho que o próprio ‘Jesus nos deixou, tendo como modelo a ‘Sua própria família: São José e Nossa Senhora!

Deixe o seu comentário aqui embaixo, com testemunhos, opiniões e sugestões para o nosso blog! Vamos povoar o céu com Santos!

 

Leia tbm:

  • Paula

    Certamente Alex. Vejo as feridas pela ausência de um pai diariamente no contexto de minha família. Não por mim, afinal, tenho um pai maravilhoso e que além de tudo é um excepcional avô. Porém, meus sobrinhos vivenciam e enfrentam diversos problemas comportamentais e afetivos em função da ausência do pai biológico deles de forma ativa como um verdadeiro pai deve ser. Por mais que meu pai, avô deles, tente assumir essa função, com a dignidade, amor e bondade que lhe é próprio, essa lacuna deixada pelo pai biológico, não tem sido preenchida. Neste momento de intensas orações por meus sobrinhos, ainda não posso testemunhar positivamente a transformação desse vazio que eles ainda carregam no coração… mas, confiantes na misericórdia de Deus e na intercessão de Nossa Senhora, espero com paciência o dia em que essa realidade seja modificada…

    • Alex Tonon

      Amém irmã, obrigado por você ter partilhado aqui a história dos seus sobrinhos. Eu vejo que no nosso mundo moderno a ausência do pai machuca mesmo nossos filhos, como você citou no seu comentário. Vamos rezar para que Jesus cuide de todos nós que muitas vezes carregamos essas marcas.

  • Loly Pop

    foi um evagelico que escreveu isso?! o texto estava incrivel ate mencionar deus e satanas… nao é um ser imaginario que controla os homens, eles mesmo escolhem abandonar seus filhos

    • Alex Tonon

      Oi Loly tudo bem? Eu sou católico. Obrigado pela sua crítica, acredito que me faz rezar mais com a visão de quem está lendo.

  • Carla Regina de Sousa

    você tem mais artigos ou estudos sobre a relação entre carência de amor do.pai e homossexualidade masculina? Obrigada

    • Alex Tonon

      Ainda não. Mas, seria um bom tema para trabalharmos aqui no nosso blogue. Você pode deixar aqui suas sugestões de temas nós comentários.

Scroll Up