MATRIMÔNIO VERDADEIRA

A submissão da mulher: uma via de mão dupla

Certamente, assim como eu, você já deve ter ouvido falar que a mulher deve ser submissa ao homem e, talvez, já tenha também se questionado com relação a isso. Por muito tempo eu achei que ser submissa era simplesmente obedecer ao marido, como um escravo obedece ao seu senhor, ou, no caso, como uma escrava.

Hoje eu quero partilhar com vocês um pouco sobre a submissão da mulher e as consequências disso nas nossas vidas como esposa. Para começar, precisamos saber de onde vem o famoso versículo bíblico que diz que a mulher deve ser submissa ao homem:

“Sede submissos uns aos outros no temor de Cristo. As mulheres o sejam a seus maridos, como ao Senhor, porque o homem é a cabeça da mulher, como Cristo é a cabeça da Igreja e o salvador do Corpo. Como a Igreja está sujeita a Cristo, estejam as mulheres em tudo sujeitas aos maridos. E vós, maridos, amai vossas mulheres, como Cristo amou a Igreja e se entregou por ela, a fim de purificá-la com o banho da água e santificá-la pela Palavra, para apresentar a si mesmo a Igreja, gloriosa, sem mancha nem ruga, ou coisa semelhante, mas santa e irrepreensível. Assim também os maridos devem amar suas próprias mulheres, como a seus próprios corpos. Quem ama sua mulher ama-se a si mesmo, pois ninguém jamais quis mal a sua própria carne, antes alimenta-a e dela cuida, como também faz Cristo com a Igreja, porque somos membros do seu corpo.” (Efésios 5,21-30)

Aqui, podemos ver que o apóstolo não diz somente que as mulheres devem ser submissas, ele dá aqui um conselho completo. Como tudo em um relacionamento ele apresenta uma via de mão dupla. É um grande erro é tentar interpretar versículos bíblicos separadamente, porque ao invés de esclarecer as nossas dúvidas e iluminar o nosso entendimento, pode gerar ainda mais confusão na nossa cabeça. Se olharmos apenas para a parte que diz: “mulheres sejam submissas aos seus maridos”, parece um grande peso, um fardo a ser carregado sem qualquer ajuda. Ou então, que a mulher não vale nada e que, assim como uma escrava, o seu senhor faz dela o que bem entender. Mas, quando lemos tudo o que o apostolo Paulo diz, as coisas se encaixam.

Ufa! A Igreja não me quer como uma mulher bitolada que não toma suas próprias decisões, pois só obedece ao seu marido. Pelo contrário, é justamente a Igreja que ensina a todos, inclusive a nós mulheres, que somos dignas e que merecemos tratamento a altura de tal dignidade. O valor é tamanho que a Igreja ensina ao homem que ele deve amar a sua mulher como o próprio Cristo amou a Igreja e se entregou por ela.

Conseguimos entender até aqui que a submissão não se trata de obedecer a tudo, mas entender que os papéis do esposo e da esposa são diferentes e se completam. O homem recebeu uma missão: ser o chefe da família; e a mulher recebeu a submissão, uma missão dentro de outra missão. São missões de igual valor e relevância. Não há comparação porque não se trata de uma disputa, mas sim de um complemento. Duas peças diferentes, que se encaixam e se completam. O Papa Pio XI na encíclica Casti Connubii escreve:

“Sujeitem-se as mulheres aos seus maridos como ao Senhor; porque o homem é cabeça da mulher, como Cristo é cabeça da Igreja. Tal sujeição não nega nem exclui da mulher a liberdade a qual possui pleno direito, pela nobreza da personalidade humana, pela missão nobilíssima de esposa, mãe e companheira, nem a obriga a condescender com todos os caprichos do homem, quando não conformes à própria razão ou à dignidade da esposa (…)”.

Quanto cuidado a Igreja tem por nós mulheres. O quão importante é para ela a nossa dignidade. Claro que fica mais fácil compreender a submissão quando você é submissa a um homem que te ama como Cristo amou a Igreja e está disposto a dar a sua própria vida por você.

Em um de seus discursos, o Papa Paulo VI declarou:

“No cristianismo, de fato, mais que em qualquer outra religião, a mulher tem, desde as origens, um estatuto especial de dignidade, do qual o Novo Testamento nos atesta não poucos e não pequenos aspectos (…); evidencia que a mulher é destinada a fazer parte da estrutura viva e operante do cristianismo de modo tão relevante, que talvez ainda não tenham sido enucleadas todas as virtualidades”.

Podemos entender que a mulher, com suas características naturais (feminilidade, docilidade, amabilidade e todas as outras habilidades), tem uma missão única e especial: auxiliar o seu esposo, sendo para ele o seu refúgio. Um homem que está disposto a dar a sua própria vida pela esposa, com certeza, também tomará decisões para fazê-la feliz. A submissão deixa de ser um peso para uma mulher que é amada e respeitada.

Espero que a nossa partilha de hoje ajude vocês, mulheres, e também aos homens, a entender melhor o plano de Deus para nós.

No nosso texto da semana passada (PRIORIDADES – se você ainda não leu, não perde mais tempo e clica no link para ler) eu vi um comentário do Facebook da Comunidade em que uma moça disse que achou o texto bem legal, mas que ela não trocaria o seu diploma por nada. Eu gosto disso, da partilha. De compartilhar a minha realidade e saber da realidade de vocês, e tudo isso com muito respeito. Continuem partilhando da vida de vocês, da sua realidade. No Face eu não consigo ler e responder todos os comentários, mas aqui no blog eu quero conversar mais com vocês 😉

 

 

Leia tbm:

  • Gabriely Mota

    Eu acho que é um tema que deve ser mais explorado, pra que fique mais claro!

    • Dayane Tonon

      Gabriely, quais são suas dúvidas?

  • Paloma Costa Ribeiro

    Dayane você colocou exatamente o que eu entendo dessa leitura…a Palavra ainda assusta muitos quando fala de submissão, ainda mais hoje em dia, onde se prega o feminismo de forma ainda mais intensa. Porém, basta ler a recomendação toda para entender que é simples, aliás, é natural, quando você pensa que será submissa à um esposo que te ama como Cristo amou e se entregou pela Igreja. É um amor mútuo, de entrega e doação.
    Se cada um, marido e mulher se colocarem nos seus lugares a vocação será vivida de forma plena. Deus abençoe você, e as partilhas lindas que edificantes que você e o Alex fazem.

    • Dayane Tonon

      Amém Paloma!
      <3

  • Nayara Queiroz Ferreira

    Noooooossa, agora ficou tudo tão claro. Ultimamente peguei a Bíblia para ler as cartas de Paulo, e vi que em repetidas cartas esta escrito em que a mulher tem que ser submissa ao homem. Não queria aceitar, e ainda não tinha aceitado, pois ao meu ver homem algum tinha que ter poder sobre a minha pessoa.
    Ao explicar sobre a missão do homem e que nós mulheres temos a submissão ficou tudo mais nítido!
    Muitoooo obrigada por fazer deixar tudo mais claro <3

    • Dayane Tonon

      Nayara, fico muito feliz em saber que a partilha te edificou. O seu comentário também edificou a minha vida! Obrigada pelo carinho! <3

Scroll Up